Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais leia a nossa Política de Cookies.

O nosso amanhã

Catarina Tendeiro, Responsável de Pessoas e Organização do Grupo Ageas Portugal

O nosso amanhã

Nos últimos tempos, o mundo do trabalho tem enfrentado diversas transformações.


Publicado em 5 de Novembro de 2021 às 17:34
Por Catarina Tendeiro, Grupo Ageas Portugal

Se, antes da pandemia, já havia alguns sinais de mudança, a crise sanitária veio acelerar a implementação de novos modelos de trabalho e, da noite para o dia, as empresas tiveram de se adaptar ao novo contexto. Os edifícios ficaram vazios e o/as Colaboradores/as fizeram da sua casa o seu escritório, com a adoção do trabalho remoto exigindo um trabalho de adaptação de todos os envolvidos, inclusive em termos psicológicos. Afinal, não é ao acaso que a palavra ‘resiliência’ ganhou uma nova proporção.

Claramente que, depois de iniciado este processo de adaptação, não havia forma de regressar ao modelo antigo até porque, de acordo com o estudo Observatório de Tendências, os portugueses no geral mostraram-se agradados com o teletrabalho, com 77% a revelarem ter-se sentido satisfeitos com a forma como a sua empresa se ajustou à nova forma de trabalho. Além disso, ainda segundo o mesmo estudo, 62% dos portugueses inquiridos admitiram que gostariam de trabalhar a partir de casa, optando a maioria (cerca de 51%) por um modelo misto.

Depois de toda esta transformação, deu-se uma mudança de paradigma já antevista (pré-pandemia), no que toca ao futuro e flexibilidade do trabalho. Atualmente, as organizações reconhecem que é necessário focarem-se em vários aspetos, como a capacidade de adaptação constante à mudança, nas novas necessidades de aprendizagem e ainda na adoção de novas formas de trabalhar.

No que respeita ao último ponto – as novas formas de trabalhar – há mais de 2 anos que o Grupo Ageas Portugal tem vindo a desenvolver novas políticas internas, como a da flexibilidade de trabalho (adoção de modelo híbrido “flexwork”) em que qualquer Colaborador tem a possibilidade de aderir a este modelo flexível e que consiste na prestação de trabalho de 3 dias no escritório e 2 dias remotamente, com horário de trabalho acordado com a respetiva gestão.

O modelo híbrido é, para muitos, considerado o melhor dos dois mundos, contudo, é fundamental capacitar os/as líderes de competências para gerir equipas híbridas e para trabalhar a ligação entre todos, promovendo um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, porque o bem-estar físico, emocional e social deverá continuar a estar no centro das principais preocupações de forma a garantir uma empresa feliz e saudável. Aqui reside, também, a importância de, não só de haver uma comunicação clara e elucidativa, mas também de poder contar com ferramentas internas que ajudem na organização.

O nosso amanhãSITE_IMAGE_ALT_SUFFIX
Nova sede Grupo Ageas Portugal

Nova sede Grupo Ageas Portugal

No Grupo Ageas Portugal, por exemplo, contamos com uma série de iniciativas internas que permitem manter uma ligação próxima com os Colaboradores e promovemos também várias ações dedicadas à liderança que ajudam os Gestores a implementar e a gerir o novo modelo híbrido com as suas equipas. Estamos a desenvolver, de raiz, um aplicativo de apoio à gestão das nossas pessoas e dos novos edifícios, fundamental para uma organização interna eficiente, dando autonomia aos Colaboradores para escolher escolher os dias em que irão ficar a trabalhar remotamente e aos Gestores a visão relativamente à localização das pessoas que consigo trabalham, facilitando a organização de momentos em equipa e o planeamento de interações individuais. Adotamos o princípio de free-sitting nos novos edifícios, tendo os Colaboradores assim, a possibilidade de escolher o espaço de trabalho adequado às suas necessidades diárias, podendo optar por ocupar uma secretária individual, por um espaço colaborativo mais informal, por uma sala de reuniões ou mesmo um local com isolamento acústico para maior privacidade e concentração.

A sustentabilidade é também um fator imprescindível no futuro do trabalho, sendo essencial que as empresas se tornem cada vez mais envolvidas neste tema e procurem soluções que tenham em conta o futuro do planeta. Neste campo, o Grupo Ageas Portugal tem também implementado várias iniciativas. Entre as várias ações, está a futura sede do Grupo que recebeu o Prémio Construção Sustentável e Eficiência Energética, uma das categorias dos Prémios SIL – Salão Imobiliário de Portugal 2021. O edifício que conta com um total de 17.400 m2, distribuído por 12 pisos – dois dos quais disponíveis para entidades externas – e um terraço superior com uma vista para o Tejo, foi erguido tendo como foco constante a sustentabilidade. Os/as Colaboradores/as terão acesso a uma horta solidária na qual todos poderão contribuir, tendo também disponível o serviço de cafetaria, restaurante e esplanada. Haverá uma brandroom que espelhará os valores e história do Grupo, com um espaço aberto para o exterior para receber os mais diferentes eventos, e uma academia. Além disso, o estacionamento garante 500 lugares, incluindo motos e bicicletas, e ainda postos de carregamento para um total de 51 carros elétricos, sem custos.De olhos postos no futuro e na construção de um ambiente inspirador, flexível e harmonioso para que os seus/suas Colaboradores/as se sintam bem e motivados/as, o Grupo Ageas Portugal, enquanto empresa disruptiva, mantém a missão de olhar para o futuro e trabalhar naquilo que será o nosso amanhã.